Follow Us @divamontalban

06/03/2018

Amar como em um reclame

Uma história e versão de quem a conta



Olá amigos e leitores. Após receber  o arquivo-texto através do aplicativo whatsapp, me dispus a escrever sobre o tema, até porque algo similar já ocorreu comigo.
Certa vez conheci um rapaz que não morava na mesma cidade que eu,  porém sempre nos falávamos pela internet através de rede social, pelo saudoso MSN,  e pessoalmente, quando ele viajava para visitar-me. 
Disse-me que estava solteiro, e eu também estava. Iniciamos um namoro. Assim, em uma ocasião em que fiz uma viagem sozinha, o amor de reclame foi detectado.
Mesmo sozinha, mantive contato com ele via mensagens, ou seja, estava em sua companhia, ainda que distante dele. Me sentindo assim,(( porque sou romântica/sentimental :D )) fiz foto de uma imagem bonita, do lugar onde eu estava, publiquei na rede social, marcando-o na imagem. 
Deu-se o contratempo. Uma outra namorada, laço afetivo aberto, paquera  que ele estava em contato também, saindo com ela também, o questionou. Perguntou a ele quem era eu, a razão pela qual eu o havia marcado, e ele inventou outra versão da história para ela, dizendo que eu era uma amiga de sua família, que eu era brincalhona ( isso eu sou mesmo :D ), inventou até um trabalho para mim ligado à foto para justificar a imagem. 
Como eu descobri tudo isso é uma outra história, todavia o que me trouxe na descrição desta postagem é o laço afetivo descrito no texto que recebi.
A maioria das pessoas sente dificuldade ou até desconforto em empregar as verdades de sentimentos e suas intenções em seus relacionamentos, e se esquivam de serem sinceras consigo mesmas. Dessa forma, suas versões de uma determinada história vão ficando confusas até para elas mesmo, os  laços ficam abertos e amor só é meia verdade.

Como adoro uma história, vou contando as minhas aqui, por meio de meus pensamentos.
Como adoro uma música, vou postar essa daqui que também é um amor de reclame

Besos.. até breve  :*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual é seu pensamento?